sábado, julho 30, 2011

O Batismo do Espírito Santo - Parte 2

Experiência dos que receberam o batismo do Espírito Santo

Há numerosos registros de cristãos que buscaram e vivenciaram o batismo do Espírito Santo. Douglas Cooper, em seu livro Living in Our Finest Hour [Vivendo Nosso Melhor Momento], relata algumas dessas experiências.


John Wesley - fundador da Igreja Metodista:
“Temeroso de sua própria fraqueza espiritual, desiludido e abatido, ele entrou em contato com um grupo de cristãos cheios do Espírito que o ajudaram a realizar profunda mudança em sua vida”...
“Wesley resolveu buscar para si a plenitude do Espírito. Em outra reunião, ele ouviu quando leram uma declaração de Lutero descrevendo a mudança interior que o Espírito pode operar coração do crente. Nessa reunião, John Wesley foi batizado com o espírito. Ele conta ter experimentado o que foi para ele uma nova dimensão de vida espiritual. ‘Senti um ardor estranho no meu coração’, confessou ele.”
”Wesley passou a ter uma nova visão, uma nova paixão, um novo poder. Praticamente não ouvida antes desse tempo, sua pregação passou a sacudir três nações.” – Living in Our Finest Hour [Vivendo Nosso Melhor Momento], págs. 76 e 77.

Charles G. Finney declarou:
“Os cristão são tão culpados de não serem cheios do Espírito como os pecadores o são por não se arrependerem. Na verdade, por possuírem mais luz, os cristãos são até mais culpados do que os pecadores.” – Ibidem, pág. 78.

Catherine Marshal, autora de muitos livros, inclusive de A Man Called Peter [Um Homem Chamado Pedro], do qual extraímos este trecho:
“Ela desejava ardentemente receber esse batismo. ‘Visto que naquela época não havia nenhum grupo que sobre mim impusesse as mãos, supliquei pelo dom do Espírito de maneira rápida e sem emocionalismos. O cenário era meu quarto, sem a presença de nenhum outro ser humano. Eu sabia também que, quando aceitamos um dos dons celestiais como esse – de forma assim tão silenciosa -, não podemos exigir instantaneamente provas de que o Senhor tenha escutado e atentido. Pois isto significaria andar por vista e não por fé... Eu sabia que, embora não devesse negar a validade dessa experiência altamente emocional ou dramática como prova inicial do meu batismo no Espírito.’
“No primeiro dia nada aconteceu. ‘Não senti nenhuma onda fluida de amor nem êxtase de júbilo’ diz ela. ‘Mas depois, nos dia subseqüentes, de maneira silenciosa mas segura, o Convidado celestial tornou conhecida Sua presença em meu coração, Ele havia feito exatamente isto.’...
“Ela descobriu que ‘a manifestação de Sua presença que o Espírito mais valoriza é o poder para testemunhar efetivamente sobre Jesus’. ‘Ele entrou em minha vida de oração e começou a dirigi-la. Tornou-Se o principal agente criativo de minha produção literária. Nos meses que se seguiram e, de fato, nos anos que se seguiram, Ele passou a controlar metodicamente cada área da minha vida, uma após outra: saúde, finanças, ambição, reputação. Logo cheguei a compreender que o batismo do Espírito Santo não era uma experiência pontual, mas um processo que continuaria ao longo de toda minha vida.’” – Ibidem,pág. 93.
Ela escreveu: “Qualquer igreja que ignora o Espírito é uma igreja apostatada.” – ibidem, pág.78.


Dwight Moody:
“Depois que se encheu do Espírito, Dwight L. Moddy escreveu: ‘De alguma forma e até certo ponto, o Espírito Santo habita em todo crente, mas existe outro dom que pode ser chamado o dom do Espírito Santo para o serviço. Esse dom é inteiramente distinto e separado da conversão e da convicção.’” – Ibidem, pág.87.
Como se pode ver dos exemplos citados acima, o batismo do Espírito não envolve necessariamente uma forte experiência emocional. É possível sentir algo ou não sentir absolutamente nada no momento em que nos enchemos do Espírito. Contudo, o Espírito Se fará conhecido naquele em que Ele habita. Sua presença começará a mudar a vida do crente de dentro para fora. Será manifesto um novo poder para a vitória e para o serviço.
Deus deseja comunicar a Seus filhos essa maravilhosa experiência. Porém , a fim de recebê-la, devemos estar dispostos a entregar-nos completamente a Deus.

“Deve o coração ser esvaziado de toda mancha, purificado para habitação do Espírito. Foi pela confissão e pelo abandono do pecado, por meio de fervorosa oração e da entrega pessoal a Deus, que os discípulos se prepararam para o derramamento do Espírito Santo no dia de Pentecostes.” - Testemunhos para Ministros, pág. 507.


Fonte: Extraído do livro "O Batismo do Espirito Santo" de Dennis Smith, págs. 33 a 35.

2 comentários:

Patricia Freitas disse...

Olá!!!Muito lindo teu blog, estou aproveitando muito estes abençoados conteúdos...Que Deus continue te abençoando..Abraço.

Jacymara Gomes Ferreyra disse...

Obrigada Patrícia, é bom saber disso, pois este blog é feito com muito carinho, sempre pensando em vocês leitores. Que Deus te abençoe também!
Abraços